09 novembro 2007

Love at first site


Patrick trocou olhares com uma rapariga no movimentado metro de Nova Iorque. Depois perdeu-a de vista.

Mas esta história não termina aqui...

O que para muitos ficaria esquecido, levou Patrick a criar um site - www.nygirlofmydreams.com - para descobrir quem era a rapariga. E em três dias, viu a big apple de mais de 8 milhões de habitantes a ficar reduzida a uma pequena aldeia.

Um amigo da misteriosa rapariga reconheceu a descrição feita por Patrick e colocou os dois em contacto. Quanto ao resto da história, as linhas ainda não estão escritas. Patrick diz apenas, "Ao contrário de todas as comédias românticas e más canções pop, terão que imaginar por si próprios o final desta história."

Na sua busca pela rapariga, Patrick viu, em poucos dias, o mail e o telefone repletos de mensagens de apoio e até a CNN quer uma entrevista. Antes dessa entrevista, podem ver Patrick a explicar o seu romântico devaneio aqui.

Mais pormenores também aqui.

14 comentários:

H. disse...

à filme ;)

David disse...

que maravilha...

abraços

wasted blues disse...

Completamente :D

Ricardo disse...

Muito gostam os norte-americanos de exacerbar tudo até ao limite. São um povo assim de extremos. "Pior" só os japoneses e o fetiche deles por gadgets.

O desfecho da história há-de ser que depois a rapariga fica impressionada com a devoção do rapazito e apaixona-se perdidamente mas uns dias depois ele vai andar de comboio e...

Por alguma coisa a expressão é "contos de fadas".

Menphis_Child disse...

que história fabulosa, não há palavras.

wasted blues disse...

Ricardo: ao menos tu não enganas, sempre igual a ti próprio. Para um homem que gosta tanto do fantástico, bem podias ter mais imaginação ;)

Ah, PARABÉNS atrasados!!!!

Menphis: inspira-nos, não é? Não digo que agora vamos todos desatar a criar sites porque fizémos olhinhos a alguém no metro, mas inspira-nos a termos alguma atitude.

Paulo disse...

LOL! É assim mesmo. Ainda dizem mal da internet :-P

Ricardo disse...

Isto faz-me lembrar um filme muito manhoso que eu vi há uns anos com a Emanuelle Chriqui e se não me engano com um tipo qualquer duma banda... ou amostra de banda: os NSYNC. O filme chama-se "On the line" e por estranho que pareça, é a história de um rapaz que vê uma rapariga no comboio e n lhe pede o telefone. Mais tarde em casa e com os colegas, resolve fazer uma busca pela rapariga colando panfletos nas paredes. Inovações à parte, a história é tal e qual.

Ricardo disse...

É exactamente por ter imaginação que imagino logo que a coisa só pode dar para o torto. heheheh

Parabéns atrasados porquê? :smilie_confuso:

wasted blues disse...

Paulo: tem os seus charmes também ;)

Ricardo: a arte imita a vida ou a vida imita a arte? ;)

Ricardo: ups... tu é a 2 mas de Dezembro... então estou a dever este parabéns atrasado é a outra pessoa que fez agora. Troco-vos sempre [inserir smiley corado]

Alan Smithee disse...

A história merece um sorriso enternecedor, mas que não haja ilusões, o século XX matou definitivamente o romantismo, e não há forma de o ressuscitar

Cataclismo Cerebral disse...

Eu cá acho que actualmente o romance está vivo e na sua melhor forma (pelo menos no cinema sempre teremos o Lost In Translation e o Before Sunset). Quanto à história, alguém pegue nisto e adapte já para cinema!

Bjs

Menphis_Child disse...

verdadeiramente inspirador...e ando tanto a precisar de inspiração :)

wasted blues disse...

Alan: apesar de não ser uma romântica incurável, também não sou assim tão negativa.

Cataclismo: pelos visto já foi feito um filme com uma história parecida. Como disse antes, a arte imita a vida ou a vida imita a arte? ;)

Menphis: junta-te ao clube :)