11 janeiro 2007

Blondie, Angel Eyes e Tuco

Photobucket - Video and Image Hosting

"Sergio Leone com os seus grandes planos, spaguetti-made"... dizia eu, há uns dias, a propósito da minha descoberta pelo mundo dos Westerns. E o meu primeiro Leone foi, justamente, The Good, the Bad and the Ugly. Foi aqui que descobri os planos que nos dão todos os pormenores e emoções do rosto, os longos planos sem palavras, os homens rudes de reflexos rápidos e a importância das alcunhas. Tudo isto aliado a uma partitura emblemática e a uma forma de contar histórias presa nos pequenos detalhes e num peculiar sentido de humor.


Photobucket - Video and Image Hosting

The Good, the Bad and the Ugly é o último filme da trilogia dos dólares mas acaba por ser uma prequela dos filmes anteriores. É aqui que Blondie, interpretado por Clint Eastwood, ganha o seu característico poncho. Uma peça de vestuário essencial para constituir uma das mais famosas personas de Eastwood no cinema, complementada pelo charuto no canto da boca e por uma atitude impassível mas certeira. A história do filme conta-se numa frase - três homens em busca de um tesouro durante a Guerra Civil Americana - mas Leone transforma uma frase num épico visual. Cada plano é minuncioso e belo, porque nada é deixado ao acaso. No universo dos Westerns de Leone, onde tudo se rege pela violência, é complicado encontrar uma personagem com bons intuitos. Mesmo o "good" do título não é melhor do que os outros dois personagens, apenas na pontaria e inteligência.


Photobucket - Video and Image Hosting

Repleto de sequências memoráveis, The Good, the Bad and the Ugly é Leone Vintage. Um dos mais perfeitos exemplares de um tipo de Western que marcou uma mudança na história do Cinema.

15 comentários:

shivers disse...

Um dos meus filmes favoritos de sempre. :)

Excelente texto de análise, estou a ver que sempre foste á Cinemateca rever esta maravilha do cinema, a obra prima de Leone. ;)

Luís António Coelho disse...

Há quem lhe chame western spaguetti, há quem lhe chame western barroco, mas o que interessa mesmo é que é um grande filme. Clint Eastwood no papel mais cool da sua carreira. Nos filmes seguintes de Leone, os seus heróis já teriam uma dimensão mais trágica.

dermot disse...

Os westerns são uma das minhas perdições.
E este mês da Cinemateca faz crescer água na boca... Hawks, Peckinpah, Ford... Que pode um homem querer mais para ser feliz? :) Só mesmo o Leone. Ou o Corbucci. O Bom, O Mau E O Vilão também continua a ser o meu western favorito de sempre.

Dário Ribeiro disse...

Muito bom (a meia hora final é de antologia), mas para mim Leone no seu melhor "é" Charles Bronson tocando a sua harmónica em busca de um vilão de olhos azuis chamado Henry Fonda... ;0)

Hugo Alves disse...

Inspirada a menina! É sempre bom ver um Leone, sobretudo quando se pode usufruir da sempre prazenteira companhia da Miss Blues. :-)

Confesso que adorei esta versão italiana que exibiram (em cópia magnífica, diga-se de passagem). Com muito mais humor nos diálogos do que a versão internacional. Pena é que a máquina das legendas tenha "avariado" a espaços e nem toda a gente possa ter apanhado a fineza das deixas humorísticas.

wasted blues disse...

Shivers - fui à Cinemateca a foi um prazer rever este belo filme em todo o esplendor do grande ecrã! Espero que a Cinemateca repare na plateia cheia e decida exibir também os outros filmes do Leon ;)

Luís - um grande filme, mesmo! E prefiro, de longe, o Clint 'Blondie' ao Clint 'Dirty harry' ;)

Dermot - é um mês em cheio. Embora hoje tenha perdido o 'The Wild Bunch' :(

Dário - este e o 'Aconteceu no Oeste' são os meus favoritos, não conseguiria escolher entre eles. Mas Leone também provou ser capaz fora dos Westerns, com esse maravilhoso épico 'Once upon a Time in America'!

Hugo - no início estranhei ouvir o italiano, mas de facto tem bastante humor. Foi pena aquela máquina das legendas... alguém lhe dê um abanão para lhe começarem a sair as letras :P

zarolho disse...

está no meu top 5! Grande filme, grande banda sonora, poucos diálogos mas mas muito bons, cenas míticas...enfim, ficava aqui o dia inteiro a elogiar esta obra prima.

R. disse...

Faltou mencionar apenas a fantástica música deste filme...

wasted blues disse...

Zarolho - um filme memorável!

R. - "Tudo isto aliado a uma partitura emblemática..." ;)

Nothingman disse...

Adoro este filme e Sergio Leone. Sou louco por Spaguetti-westerns.

R2D2 disse...

O Leone é uma referência. Mas sem dúvida que o "Aconteceu no Oeste" é a obra máxima dos seus W-S (e não aceito discussões :p)

E um textozito sobre o Straw Dogs(?), um filme que tenho em muito boa conta.

_Loot_ disse...

A minha primeira experiência com o senhor Sergio Leone foi o "Once upon a time in America", aliás uma grande experiência. Este foi o meu segundo filme dele, magnífico, Ennio Morricone em grande como sempre.
Sabiam que o Clint Eastwood detestava fumar, mas era necessário para a sua personagem não parecer tão "menino"?

wasted blues disse...

Nothingman - tens bom gosto ;)

R2D2 - 'Straw Dogs'? Qualquer dia ;)

Loot - "Sabiam que o Clint Eastwood detestava fumar, mas era necessário para a sua personagem não parecer tão "menino"?"

Dessa não sabia eu :D

joseo disse...

bela surpresa saber que não é só um filme de homens e para homens...

estou a brincar!

Fabuloso filme, o maior dos Leones possivelmente!

RJ disse...

Um filme fabuloso, mesmo. Uma obra prima.