15 julho 2006

I'm a replicant!

Photobucket - Video and Image Hosting


10 comentários:

Anónimo disse...

Extraordinária a feira das vaidades que houve ontem pela cinemateca. 90 % das pessoas não foram pelo filme... iam para ser vistas.

noite americana disse...

Espero que tenhas conseguido ver. DM

wasted blues disse...

Anónimo, também estava por lá para poder dar tal estatística?

Noite americana... não deu. Saí tarde do trabalho e já não havia bilhetes. Paciência, eu já vi o 'Blade Runner' na cinemateca numa outra oportunidade ;)

Thanatos disse...

O importante a retirar do acontecimento é constatar que a Cinemateca, o Cinema e o Convívio ainda conseguem ser pólos atractivos o suficiente para esgotar. :-)

Hobbes disse...

Curiosa estatística, anónimo. Infelizmente, apesar de ter estado na esplanada da cinemateca, não a posso confirmar nem desmentir, uma vez que... estava muito ocupado a ver o filme.
Wasted Blues, tenho mesmo pena que não tenhas podido estar lá connosco.
Thanatos, é sempre bom ouvir-te dar mostras da tua sageza.

Hugo Alves disse...

O pior (e tragicómico) foi ver que o acontecimento se transformou nuam feira das vaidades...acho que a maioria dos espectadores só foram "porque sim", "porque fica bem", etc...aliás é algo que acontece frequentemente na Cinemateca quando há sessões mais solenes.

Apesar dos sucessos esporádicos de audi^»encia, não é assim que se conquistam públicos para aquele espaço magnífico. Apesar de tudo, há que dar os parabéns pela iniciativa.

wasted blues disse...

Apesar de adorar a cinemateca, não acredito que esta tenha de ser um reduto para uns quantos"iluminados". Acho bem que conquiste novos públicos e que existam mais iniciativas do género!

Hobbes disse...

Caro Hugo Alves, não sei o que é que te irritou tanto na sessão do Blade Runner. Eu por mim, além de ter adorado mais uma vez ver o filme, claro, admirei o silêncio sepulcral com que as pessoas o acolheram, nada comparável às sessões normais de cinema, mesmo em salas supostamente de culto, como o King. Aqui, não ouvi um único diálogo, um comentário distraído, que até seria natural (não desculpável, mas natural) num ambiente de esplanada. Havia um grupo grande de pessoas, do blog 'noite americana', que estavam naturalmente a conviver e a gozar o fruto do seu trabalho em nos terem proporcionado esta sessão; havia muita gente a alegre, e ainda bem, porque uma ida ao cinema deve ser um motivo de boa disposição e é bom encontrar pessoas de quem se gosta; eu próprio estava com um grupo grande de amigos, que aguardava alegremente o filme, enquanto gozávamos as coisas boas da vida: comida, bebida, os amigos, o facto de poder fumar no cinema, e, claro... um dos melhores filmes de sempre; mas durante o filme, toda a gente apreciou o privilégio de ver o Blade Runner com gosto e assombro. Menos tu, se calhar, que estavas chateado com as vaidades dos outros... :-)

Anónimo disse...

Hobbes - Não está em causa a falta de silêncio das pessoas, aliás não se pode negar que a generalidade estava calada (também era só o que faltava, falarem durante uma projecção).

O que é verdade é que há certos eventos da cinemateca (como o Alves bem disse) em que fica bem lá estar, ser visto, falar com x, y e z, dar um certos sorrisos colgate e armar ao pingarelho. Houve alturas em que pensei que aquilo era uma festa da Bibá Pitta em Cascais.

É óbvio que não estou a falar mal do pessoal da Noite Americana, esses fizeram bem em se reunirem para uma sessão, como um grupo normal faz, de forma descomplexada. Estou sim a falar mal dos que foram lá para serem vistos, e que, para eles, o Blade Runner era apenas acessório...

É como os convidados que vão para as ante-estreias na Cinemateca, que têm mais ligações à Tv, do que ao Cinema. E penso que não há dúvidas para ninguém - o pessoal da tv é muito diferente do do cinema. Posturas diferentes, ostentações diferentes, educações diferentes.

Só para te dar um exemplo, nesta sessão de 6a, estava eu a certa altura a mandar calar um tipo que tava armado em que tinha visto o filme, a comentar a acçao. Escusado será dizer que era um betinho com camisola de marca, e ar arrogante, que não tem o mínimo de respeito pelos outros, que foi lá porque se calhar era um grande amigo do "Cajó" que ia lá estar naquele dia...

Foi este tipo de gente que abundou na Sexta passada...

Wasted Blues - duvido que este pessoal se possa considerar "novo público" para a cinemateca.

Hugo Alves disse...

Falo apenas na qualidade de visitante assíduo (diário, poraticamente) da Cinemateca. Não estavam ali os espectadores regulares.

Caro Hobbes, com algumas visitas regulares aquele espaço, facilmente se conhecem os "clientes habituais". O que me deixa triste (muito mesmo) é ver que na maioria dos casos só se vai lá "porque sim" e "porque fica bem". Este foi um exemplo, tal como a abertura do Ciclo Pasolini. Só para dar uum exemplo que eu presenciei:

nesse dia uma senhora muito bem vestida diz-me "sabe, ainda há coisa de um mês fui À estreia do último filme do Pasolini. Maravilhoso". Certamente a senhora esteve no Outro Mundo, falou com PPP e voltou para contar...

Apesar disso, reitero, há que dar os parabéns pela iniciativa.